A Comunidade das Patameiras, que faz parte da Paróquia do Santíssimo Nome de Jesus de Odivelas, nasceu por iniciativa do então Pároco Padre Joaquim Pedro e o seu auxiliar Padre Dionísio, durante os anos 1987-88, como resposta a um antigo anseio de um grupo de fiéis católicos residentes nesta zona da cidade, que aspiravam a um espaço próprio, para não precisarem de se deslocar à Igreja Matriz, na zona antiga da cidade para participar nos serviços religiosos.
Embora a Catequese já funcionasse desde o início dos anos 80, na Escola Primária No 5, orientada pela equipa das Irmãs Doroteias (que colaborou no período em que foi pároco o Padre Melo), nessas instalações não funcionava qualquer outro serviço religioso.
Ainda nas instalações da escola, em 1988-89, o Grupo de Jovens iniciou as suas actividades, e em 9 de Outubro de 1988, foi celebrada a primeira missa. Nos primeiros anos, a Celebração (dominical) da Eucaristia só teria sido possível quinzenalmente, sendo alternada com a realização da Celebração da Palavra. No entanto, e graças à disponibilidade de sacerdotes que não pertenciam à paróquia, o número de Eucaristias foi superior ao previsto.

A vinda dos Padres Palotinos, SAC (Sociedade do Apostolado Católico), que ainda hoje têm a seu cargo a Paróquia de Odivelas, tornou possível o alargamento das actividades realizadas na comunidade, nomeadamente passando a Eucaristia a ser semanal.
A aspiração a um espaço próprio foi atendida pelos órgãos autárquicos, tendo para o efeito, sido disponibilizado o espaço junto ao cemitério da cidade, na zona alta das Patameiras.

As contribuições financeiras, materiais e humanas de muitos fiéis, e também de outras entidades externas, tornaram possível erigir a actual igreja.

Das suas instalações constam a igreja propriamente dita, um salão (Auditório Rainha dos Apóstolos), várias salas (afectas às várias actividades, entre elas a catequese), e as casas mortuárias.
Também em instalações anexas à igreja, foi construída a casa paroquial, onde é possível funcionar o Seminário da Sociedade do Apostolado Católico (Padres Palotinos), em cuja cave existe um outro salão (Salão S. Vicente Pallotti). Existe ainda uma cozinha industrial, que permite a realização de eventos que, pela sua duração, justifiquem a disponibilização de refeições.

A cerimónia de bênção da primeira pedra foi a 19 de Abril de 1998, presidida por D. José Policarpo, Patriarca de Lisboa. A sagração (dedicação), da igreja, foi realizada a 26 de Junho de 1999, presidida por D. José Alves, Bispo Auxiliar de Lisboa. Passou a ser denominada por Igreja da Divina Misericórdia, nome que a comunidade adoptou.
No ano de 2010, finalmente, foi possível concluir a igreja, com a construção da torre.